Skip to main content Skip to footer site map

BWW Review: 17 Years Later RENT Revivals in Brazil

BWW Review: 17 Years Later RENT Revivals in Brazil Universal, translated into more than 22 languages and presented in more than 100 cities, RENT gets a new Brazilian production with presentations on Tuesdays and Wednesdays.
How do you count one year of your life? The winner of 4 Tony Awards (Best Musical, Best Song, Best Original Score and Best Supporting Actor), RENT tells a year in the lives of eight young people who have to face the adventures and misadventures of their loves, friendships, conflicts, financial problems, sexuality and the struggle with human finitude. More than a musical, RENT is a chain of love!

BWW Review: 17 Years Later RENT Revivals in Brazil
Bruno Narchi as Mark
Photo by Caio Galluci

RENT, de Jonathan Larson, é geralmente descrito como uma adaptação moderna e livre da ópera La Bohème (1886), do compositor italiano Giacomo Puccini (1858 - 1924). Como na grande ópera, o musical traça o destino trágico de um grupo de artistas aspirantes que vieram para a cidade grande, sem ainda tê-la conquistado, e consequentemente tendo que viver em condições de pobreza e aperto num quarteirão que, embora aparentemente brilhante, vivo e animado, é também um lugar de luta, esforço - e algumas vezes de miséria.

Ao transportar a ação da Paris do final do século 19 para o East Village nova-iorquino, nos anos 1990, Larson foi, naturalmente, uma pessoa empreendedora: ele fez um clássico estabelecido parecer urgentemente atual logo de cara. Também conhecido por Alphabet City (porque as avenidas são nomeadas "A", "B" e "C") o lower east side de Manhattan se tornou o lar de artistas, invasores, traficantes, sem tetos e mendigos.

BWW Review: 17 Years Later RENT Revivals in Brazil
Roger (Thiago Machado) and Mimi (Ingrid Gaigher)
Photo by Caio Galluci

Nascido em White Plains, Nova Iorque, em 1960, o autor de RENT assemelha seus personagens aos jovens suburbanos que sonharam com uma vida metropolitana criativa e vão a sua busca em Nova Iorque. Jonathan Larson trabalhou como garçom enquanto perseguia sua "verdadeira" carreira. Os personagens do musical são Mark (Bruno Marchi, também o produtor do musical) um filmmaker e narrador; Roger (Thiago Machado), um músico HIV positivo que deseja fazer uma contribuição para a posteridade antes de morrer; Mimi (Ingrid Gaigher) uma dançarina viciada em drogas que trabalha num clube sadomasoquista; Angel (Diego Montez) uma drag queen; e seu amante Tom (Max Grácio); e Maureen (Myra Ruiz, que após protagonizar Elphaba em Wicked curiosamente está em outro papel originado por Idina Menzel, na Broadway), uma artista performática que é ex-namorada de Mark e atualmente namora Joanne (Priscila Borges). Todos eles estão preocupados em realizar seus sonhos sem se venderem. O amor que sentem um pelo outro é o que faz suas vidas suportáveis.

BWW Review: 17 Years Later RENT Revivals in Brazil
Tom (Max Grácio) and Angel (Diego Montez)
Photo by Caio Galluci

RENT foi um divisor de águas no teatro musical, embora Larson mal vivesse para presenciar isto - e ele jamais soube o quão bem sucedido ele seria. A peça era um trabalho grande, disperso e incoerente quando foi assumida por James Nicola, do New York Theatre Workshop, com destaques ocasionais e inumeráveis fracassos. Gradualmente, ao longo de semanas, eles trabalharam juntos e moldaram-na em algo como sua forma final - somente para Larson morrer subitamente de um aneurisma na aorta (Síndrome de Marfan), um dia antes da sua pré-estreia. Esta tragédia atraiu inevitavelmente uma publicidade sem precedentes para um show Off-Broadway que ainda era uma produção muito obscura.

Saudado como o primeiro musical rock desde Hair a lidar com o relacionamento das gerações, RENT estreou em fevereiro de 1996, num teatro de 150 lugares para uma temporada de seis semanas, mas imediatamente esgotou a bilheteria. Quando a peça chegou a Broadway no final de abril, ela tinha tido críticas elogiosas, quatro páginas na edição de domingo do New York Times, e conquistou o Prêmio Pulitzer de drama. Em maio foi selecionada como o Melhor Novo Musical da temporada pelo New York Drama Critics Circle e em junho conquistou o Prêmio Tony de Melhor Musical, Melhor Libreto e Melhor Música e Letras.

Em 2005, RENT foi adaptado para o cinema, com direção de Chris Columbus, recebendo o título de RENT: Os Boêmios, no Brasil. Com exceção de Daphne Rubin-Vega e Fredi Walker o elenco original da Broadway repetiu os papeis principais. Rosario Dawson interpretou Mimi, Idina Menzel fez Maureen e Tracie Thoms foi escalada para Joanne, por Rubin-Vega (Mimi) estar grávida na época das filmagens e Walker (Joanne) sentir que estava muito velha para o papel. Alguns elementos da trama foram levemente mudados, e algumas das canções trocadas para diálogos falados no filme, que recebeu críticas divididas. Em 2008 foi lançado em DVD e Blu-ray o documentário Rent: Os Boêmios - Ao Vivo na Broadway e um documentário sobre a produção do musical em Cuba está sendo produzido.

A primeira montagem de RENT no Brasil, em 1999, foi um trabalho marcante em mais de um sentido: primeiro porque iniciou a nova fase do teatro musical em São Paulo; depois foi a primeira produção da CIE (hoje T4F), no País; e finalmente trouxe em seu elenco nomes que hoje são consagrados na área. Se a produção original da Broadway deslanchou a carreira de Adam Pascal (Roger), Daphne Rubin-Vega (Mimi), Anthony Rapp (Mark Cohen), Idina Menzel (Maureen), Taye Diggs (Benny), Jesse L. Martin (Tom Collins), e Wilson Jermaine Heredia (Angel), por aqui não foi diferente. Jarbas Homem de Mello (Mark), André Dias (Angel), Alessandra Maestrini (Maureen), Bianca Tadini (Sra. Cohen) e Marco Tumura (Sr.Jefferson) eram apenas alguns dos nomes da produção original brasileira.

BWW Review: 17 Years Later RENT Revivals in Brazil
Myra Ruiz (as Maureen) and Priscila Borges (as Joanne)
Photo by Caio Galluci

Produtor e realizador do projeto, ao lado de Bel Gomes, o ator Bruno Narchi iniciou essa jornada em 2014 e conta: "RENT foi o musical que me inspirou a fazer musicais. Foi também a primeira vez que pensei em montar e produzir um espetáculo. Somente dez anos depois, em uma conversa de camarim com outros colegas de elenco do musical 'Cazuza - Pro Dia Nascer Feliz', nos questionamos sobre qual musical gostaríamos de fazer e produzir. Mais uma vez apareceu o nome: RENT. Hoje, vejo e acredito muito que o próprio projeto fez sua seleção natural. Formamos um time que defende essa obra com tudo aquilo que ela merece. Garra, verdade, vontade e amor. Muito amor. Um grupo de amigos falando de um grupo de amigos".

A opção em fazer uma temporada alternativa, com apresentações durante a semana, viabilizou o projeto. "Nos apresentaremos em dias em que podemos ter os melhores profissionais do mercado que terão liberdade de fazer outros trabalhos. Marcaremos as terças e quartas como um dia de festa, um evento semanal que não briga e nem compete com os outros musicais. Pelo contrário, vejo esse projeto como uma grande celebração de uma série de conquistas desse mercado. É uma homenagem aos musicais, aos profissionais, e aos amigos. Uma linda Corrente de Amor", completa Narchi.

Nesta ópera moderna criada por Larson destacamos a interpretação de Thiago Machado para "Um Som Glória" (One Song Glory); a entrada sedutora da triste e doente Mimi (Ingrid Gaigher) em "Acenda a Minha Vela" (Light My Candle); a inteligente canção-catálogo "A Vida Boêmia" ( La Vie Bohème - certamente a única letra a fazer referência a Maya Angelou, Stephen Sondheim, Susan Sontag, e aos Sex Pistols) e a medidora de tempo "Dias de Amor" (Seasons of Love). Mas o score é recheado com melodias atraentes e impulsivas e um humor sagaz que despreza qualquer sentimentalismo. O libreto de Larson, com suas referências a gentrificação, arte performática, e AZT, já se tornou uma peça de época, mas ele captura o idealismo ferido de seus personagens e faz com que você se importe profundamente com eles.

Não há uma atuação fraca neste elenco, com destaques também para a Maureen, de Myra Ruiz, e a Joanne, de Priscila Borges, e para a excelente direção musical de Daniel Rocha, tirando um som incrível do coro e de uma banda de dez músicos.

O apelo de RENT provou ser muito mais duradouro ao refletir a verdadeira profundidade dos personagens retratado por Larson assim como o imediatismo da crise social e cultural que ele identificou. RENT trouxe para o teatro musical um novo tipo de frequentador: mais jovem e talvez menos afluente. Este novo público também traria algo radical e novo para o teatro musical.

Assista AQUI o vídeo da coletiva de RENT.

SERVIÇO:

BWW Review: 17 Years Later RENT Revivals in Brazil
RENT Cast
Photo by Caio Galluci


RENT
Teatro Shop. Frei Caneca (600 lugares)
Rua Frei Caneca, 569 / 7º andar

Bilheteria: 3472.2229
Terça a domingo, a partir das 13h. Aceita todos os cartões de débito e crédito, não aceita cheque. Estacionamento do shopping - R$ 10 as duas primeiras horas

Vendas: 4003.1212 - www.ingressorapido.com.br
Terças e Quartas às 21h
Ingressos: R$ 100
Duração: 150 minutos
Recomendação: 14 anos
Gênero: musical

Temporada 2017: de 10 de Janeiro até 29 de Março

Ficha Técnica:
Texto: Jonathan Larson
Versão Brasileira: Mariana Elisabetsky
Direção: Susana Ribeiro
Direção Musical: Daniel Rocha
Direção de Movimento e Coreografia: Kátia Barros
Cenografia: André Cortez
Figurino: Fause Haten
Visagismo: Leopoldo Pacheco
Iluminação: Wagner Freire

Elenco: Myra Ruiz, Bruno Narchi, Diego Montez, Thiago Machado, Ingrid Gaigher, Mauro Sousa, Max Grácio, Priscila Borges, Thuany Parente, Carol Botelho, Lívia Graciano, Zuba Janaina, Bruno Sigrist, Arthur Berges, Philipe Azevedo, Felipe Domingues, Guilherme Leal e Kaíque Azarias.

Produtores Associados: Bruno Narchi e Bel Gomes
Realização: IBELIEVE R.A. e BELELEO PRODS.

LINKS:
Página no Facebook: /rentnobrasil
https://www.facebook.com/Rent-no-Brasil-105554689830695/

Perfil no Instagram: @rentnobrasil
https://www.instagram.com/rentnobrasil/


Featured on Stage Door

Shoutouts, Classes, and More from Your Favorite Broadway Stars

Related Articles View More Brazil Stories

From This Author Claudio Erlichman