BWW Reviews: EVITA Revival is a Smash in Brazil!

A new production of EVITA, the first one conceived and designed by a Brazilian creative team, opened to rave reviews at TEATRO ALFA, São Paulo, Brazil.

(Fotos de Jairo Goldflus)

Com letras de Tim Rice, música de Andrew Lloyd Webber, versão brasileira de Claudio Botelho e direção de Jorge Takla, a nova produção brasileira de Evita conta com 45 atores em cena, uma orquestra ao vivo de 20 músicos, 350 figurinos de Fábio Namatame, belíssimas coreografias e tangos de Tânia Nardini, cenografia de Jorge Takla e Paulo Corrêa, iluminação de Ney Bonfante e um aparato de projeções históricas gigantes que darão a real dimensão das imagens dessa mulher fascinante e de sua época ainda tão próxima.

A montagem original estreou Em Londres em 1978 e logo depois em 1979 na Broadway, vencendo 6 Prêmios Tony e uma infinidade de outros. No cinema, o papel-título foi vivido em 1996 com enorme sucesso por Madonna, conquistando um imenso público de todas as idades, e o Oscar de melhor canção. A primeIra Montagem brasileira, em 1982, foi uma reprodução fiel realizada por Maurício Sherman da direção original de Harold Prince.

A produção de Jorge Takla é a primeira totalmente concebida e realizada no Brasil, com artistas e designers brasileiros.

Evita é uma das obras do teatro musical mais vistas e ouvidas universalmente e considerada uma das obras-primas da música do século XX.

 

O ELENCO PRINCIPAL:


PAULA CAPOVILLA - Eva Perón

Paula Capovilla estudou Artes Cênicas na Universidade de Brasília, onde se envolveu com a música, integrando o Coral da Universidade de Brasília, em 1999. Foi neste mesmo ano que esteve em seu primeiro espetáculo musical, Jesus Christ Superstar, dirigido por Marconi Araújo, e também na montagem da ópera A Flauta Mágica, de Wolfgang Amadeus Mozart, no papel de Papaguena. Depois disso, integrou a Companhia de Musicais de Brasília e, em seguida, o Coro Feminino de Brasília, com o qual realizou uma turnê pela Itália, que incluiu uma apresentação o então Papa João Paulo II. Já em São Paulo, participou de diversos espetáculos musicais, começando com Les Misérables, em 2001. No ano seguinte, entrou para o elenco de Godspell e daí em diante dedicou-se quase que exclusivamente ao teatro musical, em produções muito bem-sucedidas. No espetáculo Grease, de 2003, interpretou a jovem e errante Rizzo. Atuou como Linda Porter na produção original Cole Porter - Ele nunca disse que me amava (2004), em que cantou clássicos standards do compositor norte-americano. Entre os anos de 2005 e 2007, Paula fez parte do elenco do musical O Fantasma da Ópera, de Andrew Lloyd Webber, no qual interpretou a personagem Madame Giry. Em seguida participou da versão brasileira do musical infantil A Bela e a Fera (cujas letras originais foram escritas por Tim Rice e Howard Ashman), como a simpática Mrs. Potts. Pelo papel de Lucy, no elogiado musical Meu Amigo, Charlie Brown, recebeu, em 2010, uma indicação ao prêmio FEMSA Coca-Cola de melhor atriz coadjuvante. No mesmo ano, integrou o elenco do musical Mamma Mia, cuja história é contada através de canções da popular banda sueca Abba.adeus Mozart, no papel de Papaguena. Depois disso, integrou a Companhia de Musicais de Brasília e, em seguida, o Coro Feminino de Brasília, com o qual realizou uma turnê pela Itália, que incluiu uma apresentação o então Papa João Paulo II. Já em São Paulo, participou de diversos espetáculos musicais, começando com Les Misérables, em 2001. No ano seguinte, entrou para o elenco de Godspell e daí em diante dedicou-se quase que exclusivamente ao teatro musical, em produções muito bem-sucedidas. No espetáculo Grease, de 2003, interpretou a jovem e errante Rizzo. Atuou como Linda Porter na produção original Cole Porter - Ele nunca disse que me amava (2004), em que cantou clássicos standards do compositor norte-americano. Entre os anos de 2005 e 2007, Paula fez parte do elenco do musical O Fantasma da Ópera, de Andrew Lloyd Webber, no qual interpretou a personagem Madame Giry. Em seguida participou da versão brasileira do musical infantil A Bela e a Fera (cujas letras originais foram escritas por Tim Rice e Howard Ashman), como a simpática Mrs. Potts. Pelo papel de Lucy, no elogiado musical Meu Amigo, Charlie Brown, recebeu, em 2010, uma indicação ao prêmio FEMSA Coca-Cola de melhor atriz coadjuvante. No mesmo ano, integrou o elenco do musical Mamma Mia, cuja história é contada através de canções da popular banda sueca Abba.

 

DANIEL BOAVENTURA - Juan Perón


A inclinação de Daniel para as artes começou cedo. Iniciou-se na música estudando trombone quando ainda morava nos Estados Unidos (1978-81), aos nove anos. Ao regressar ao Brasil, estudou flauta com a professora Margarida Mascarenhas. Da flauta para o saxofone tenor na adolescência, instrumento este que acompanha até hoje. Estreou no palco em 1991, no espetáculo musical Cinema Cantado, seguido pelo musical Zás Trás, em 1992. Na sequência, integrou o elenco de O Casamento do Pequeno Burguês, de Bertolt Brecht, em que cantava, atuava e tocava saxofone, e apresentou-se no show solo Pop n' Jazz - que lhe rendeu o Troféu Caymmi de revelação no ano de 1993. Sua carreira ganhou projeção na longa temporada nacional de Os Cafajestes, vencedor do Prêmio Sharp de melhor musical em 1995, que ficou em cartaz por cinco anos. Depois dele, uma série de grandes projetos do teatro musical: Company, O Grande Dia, Vitor ou Vitória - que protagonizou ao lado de Marilia Pêra - , A Bela e a Fera, Chicago, Camila Baker e My Fair Lady, dirigido por Jorge Takla. Ganhou três vezes o Prêmio Qualidade Brasil de melhor ator: em 2001, por Vitor ou Vitória; em 2004, por Chicago; em 2006, por My Fair Lady. Paralelamente, Daniel construiu sua carreira na televisão, a partir de sua estréia na minissérie Hilda Furacão, em 1997. Em 1999, protagonizou Santo de Casa, a versão brasileira do sitcom Who's The Boss, dirigido pelo cineasta Walter Lima Jr. Destacam-se as novelas Laços de Família (2000), Amor e Ódio (2001), Kubanacan (2003), Senhora do Destino (2004), Essas Mulheres (2005), Cama de Gato (2009) e, mais recentemente, Passione (2009), além de participações em séries como A Grande Família (2004 e 2009), Dicas de um Sedutor (2007) e Toma Lá, Dá Cá (2009). Como o professor Mariano, no seriado jovem Malhação, Daniel permaneceu no ar por três temporadas. Além de seus trabalhos como ator, Daniel tem se dedicado à carreira de cantor, tendo lançado seu primeiro álbum, Songs 4 U, em 2009, que traz um repertório de grandes standards da música americana e vendeu 40 mil cópias. Seu mais recente álbum, Italiano, vendeu 20 mil cópias em apenas um mês, chegando ao segundo lugar dos mais vendidos no país.

 

FRED SILVEIRA - Che Guevara

 

Fred Silveira iniciou sua carreira musical em Brasília, onde nasceu, como violista clássico e cantor lírico. Formado em Regência, Composição e Canto, pela Universidade de Brasília, Fred tem um amplo conhecimento musical, tenho trabalhado tanto em obras líricas como também com música popular. Apresentou-se nas óperas A Flauta Mágica, de Wolfgang Amadeus Mozart, O Barbeiro de Sevilha, do italiano Gioachino Rossini, e também em A Cantata do Café, com música de Johann Sebastian Bach. Há dez anos dedica-se ao teatro musical, tendo participado do elenco de alguns dos principais espetáculos apresentados no Brasil, como Os Produtores, O Fantasma da Ópera, Ah se eu fosse Bob Fosse!, Comunità, Avenida Q e Les Misérables, vencedor na categoria de melhor espetáculo musical no Prêmio Qualidade Brasil 2001. Pelo papel de Jesus em Godspell ganhou seu primeiro prêmio por uma performance no gênero; o Prêmio Qualidade Brasil 2002 de melhor ator em musicais. Atuou, dirigido por Jorge Takla, em My Fair Lady e West Side Story, como Tony, papel que lhe rendeu uma segunda indicação ao Prêmio Qualidade Brasil, em 2008. Foi indicado em 2010 como melhor ator coadjuvante ao prêmio FEMSA Coca-Cola pelo personagem Snoopy do musical Meu amigo Charlie Brown. Esteve no elenco da ópera Magdalena, de Villa-Lobos, e participou como cantor do espetáculo Municipal dança David Parsons, ao lado de Ana Botafogo, ambos apresentados no Theatro Municipal do Rio de Janeiro. Fred também mantém seu trabalho como compositor, e pode ser ouvido nos curtas-metragens Pacarrete e Doce de coco. Atuou como dublador na versão brasileira da série infantil Os Doodlebops, além de ser versionista e diretor musical das dublagens dos desenhos animados Care Bears, Umizoomu e Rockin Road Show.

 

ALESSANDRA VERNEY - Eva (Alternante)

 

Gaúcha de Santa Maria, a soprano lírico Alessandra Verney estreou em musicais no Rio de Janeiro, no espetáculo O Abre Alas, dirigido por Charles Möeller e Claudio Botelho. Trabalhou ao lado da dupla nas montagens de Cole Porter - Ele Nunca Disse que me amava, Tudo é Jazz!, Cristal Bacharach, Ópera do Malandro - Em Concerto e 7 - O Musical. Com Jorge Fernando, protagonizou a comédia musical Aqui se faz, aqui se paga. No musical Império, com Miguel Falabella, interpretou a personagem Noêmia, amante de Dom Pedro I. Sua experiência na televisão inclui participações na minissérie Chiquinha Gonzaga e nas novelas Laços de Família e América. No cinema, estreou num dos principais papéis de Apolônio Brasil - Campeão da Alegria, de Hugo Carvana. Ainda em Porto Alegre, ganhou o "Prêmio Açorianos", na categoria Artista Revelação em 1994.

 

BIANCA TADINI - Amante de Perón

 

Atriz e cantora formada em Teatro Musical pela American Musical and Dramatic Academy de Nova Iorque, Bianca Tadini começou sua carreira em musicais ainda nos Estados Unidos, quando atuou em Soap Opera, musical Off-off Broadway. Participou, ainda, das turnês norte-americanas de Ellis Island e Cinderella. Estreou no Brasil em Rent, e em seguida fez Aí Vem o Dilúvio, O Mágico de Oz (em que interpretou Dorothy), O Fantasma da Ópera e My Fair Lady. Sob a direção de Jorge Takla, protagonizou West Side Story, pelo qual recebeu o Prêmio Qualidade Brasil de Melhor Atriz de Espetáculo Musical em 2008. Também atuou nos espetáculos O Médico e o Monstro e O Rei e Eu, no papel de Tuptim. Além da experiência nos palcos, Bianca atua como dubladora, e participou das séries infantis Os Doodlebops e Os Ursinhos Carinhosos. Versátil, foi vocalista da banda The Gig que tinha como base de repertório covers de pop/rock.

 

A EQUIPE DE CRIAÇÃO:


Direção geral JORGE TAKLA
Direção Associada e Coreografia TÂNIA NARDINI
Versão Brasileira CLÁUDIO BOTELHO
Direção Musical e Regência VÂNIA PAJARES
Assistente de Direção CRIS FRAGA
Design de Cenário JORGE TAKLA e PAULO CORRÊA
Design de Luz NEY BONFANTE
Projeções LUCIANA FERRAZ, JULIANO SEGANTI e OTAVIO JULIANO
Design de Som FERNANDO FORTES
Direção de Produção NOÊMIA DUARTE e PATRÍCIA PIRES
Diretora Comercial MARGA JACOBY
Direção de Arte JULIANO SEGANTI
Diretora de Marketing CARLA SAGRETTI
Gerente de Produção MARIANA MONTICELLI
Gerente de Palco e Produção Executiva RONALDO ZERO
Gerente de Elenco SINAI VARISANO
Co- Versionista VICTOR MÜHLETHALER
Assistentes de Direção Musical OTÁVIO SIMÕES e MARCOS ARAGONI
Assistente de Coreografia TATIANA TOYOTA
Assistente de Coreografia (tango) THIAGO JANSEN
Wig Master FELICIANO SAN ROMÁN
Visagismo DUDA MOLINOS
Pintura de Telões MARCOS SACHS
Cenotécnico DENIS NASCIMENTO
Produção de Figurinos ELIANA LIU
Produção de Cenários CÉLIA DUARTE
Chefe de Camarim ELISA CONFORTO
Baterista Ensaiador DINHO GEBARA
Pianista Ensaiador LUCAS BOJIKIAN

SERVIÇO:


TEATRO ALFA:
Rua Bento Branco de Andrade Filho, nº 722 - Santo Amaro
São Paulo - SP

VENDAS:
Bilheteria do Teatro Alfa - 11 5693.4000 / 0300 789 3377
Ingresso Rápido - www.ingressorapido.com.br ou 4003.1212

 

 


Next on Stage

Related Articles View More Brazil Stories   Shows


From This Author Paulo Afonso De Lima

Paulo Afonso de Lima lives in Rio de Janeiro,Brazil,where he has been for more than thirty years a recognized Theatre Director and Drama Teacher. Mr. (read more...)