BWW Previews: SENHOR DAS MOSCAS (Lord Of The Flies), Golding's Dark Fable, Receives Musical Version at Teatro do SESI

BWW Previews: SENHOR DAS MOSCAS (Lord Of The Flies), Golding's Dark Fable, Receives Musical Version at Teatro do SESISenhor das Moscas (Lord of the Flies), a 1954 novel by Nobel Prize-winning English author William Golding opens at Teatro do SESI for free season from May 4 to December 3. With direction by Zé Henrique de Paula, musical direction by Fernanda Maia, cast of 13 actors, and translation by Herbert Bianchi and Zé Henrique de Paula; the story's premise focuses on a group of British boys stranded on an uninhabited island and their attempt to govern themselves, with disastrous results.

"Quando eu era jovem, antes da guerra, tinha algumas opiniões irreais sobre o homem. Mas passei pela guerra e isso me mudou", observou certa vez o escritor e ex-oficial da Marinha britânica William Golding. A desilusão tornou-se evidente em seu primeiro e influente romance O Senhor Das Moscas, publicado em 1954.

Inspirado, em parte, no clássico juvenil de R.M. Ballantyne, The Coral Island (1858), o conto de Golding narra a história de um grupo de alunos internos britânicos que sobrevivem a um ataque contra o avião em que viajava e fica isolado em uma ilha remota, sem a supervisão de adultos. Os meninos se vêm sob duas lideranças naturais: Jack que está sempre preocupado em caçar, matar os porcos selvagens que existem na ilha, organizando sua equipe de caçadores; enquanto que Ralph ocupa-se em deixar uma fogueira sempre acesa, para que possam ser, um dia, salvos. Ralph deseja voltar para o mundo moderno, para a civilização, enquanto Jack cada vez mais rompe seus laços com ela. A situação se torna mais complexa quando aparece um "bicho" para aterrorizá-los. Então as crianças escolhem um símbolo sobrenatural: uma cabeça de porco espetada numa estaca, que eles batizaram como Senhor das Moscas e para quem pedem proteção contra os perigos da ilha.

BWW Previews: SENHOR DAS MOSCAS (Lord Of The Flies), Golding's Dark Fable, Receives Musical Version at Teatro do SESI
photo by Giovana Cirne

Se os protagonistas de Ballantyne eram modelos de decência, as crianças de Senhor Das Moscas regridem à selvageria, inclusive a assassinatos ritualísticos, e quase se aniquilam antes de serem salvos por um oficial da Marinha. Quando este os leva em seu cruzador a um mundo em guerra, choca-se com o fato de os meninos não terem seguido o exemplo dos personagens de The Coral Island - ao contrário, têm a mesma crueldade primitiva inscrita no comportamento de homens e nações.

Em um nível alegórico, o tema central é o conflito de impulsos humanos em direção à civilização e a organização social - vivendo por regras, pacificamente e em harmonia - e em direção ao desejo do poder. Os temas incluem a tensão entre agrupamento e individualidade, entre reações racionais e emocionais, e entre moralidade e imoralidade. O nome "Senhor das Moscas" vem do hebraico e é uma tradução literal de Belzebu (Ba'al Zebub), que é um sinônimo para o Diabo.

BWW Previews: SENHOR DAS MOSCAS (Lord Of The Flies), Golding's Dark Fable, Receives Musical Version at Teatro do SESI
photo by Giovana Cirne

Embora não tenha sido um grande sucesso no seu lançamento, o livro logo se tornaria um best-seller nos anos 1960, diante dos sentimentos antibélicos e das ameaças nucleares ao futuro da humanidade sendo geralmente lembrado como um clássico da literatura do pós-guerra, ao lado de A Revolução dos Bichos, de George Orwell e O Apanhador no Campo de Centeio, de J. D. Salinger. Em 1963 a fábula sombria de Golding foi filmada por Peter Brook (e outras duas vezes para o cinema: em 1975 por Lupita A. Concio - no cinema filipino, e em 1990 por Harry Hook), e o autor assumiria o seu lugar no panteão literário da língua inglesa, ao lado de obras-primas como No Coração Das Trevas, de Joseph Conrad, e 1984, de George Orwell. Sir William Golding recebeu o Prêmio Nobel de Literatura em 1983.


Sobre a encenação - por Zé Henrique de Paula
"O Senhor das Moscas" é um clássico da literatura inglesa - escrito em 1954, em plena Guerra Fria, o romance se tornou um dos mais importantes do século XX e deu a William Golding um Prêmio Nobel de Literatura. Mas o que existe nele que ainda possa nos interessar e, mais ainda, provocar interesse no jovem de hoje em dia?
Felizmente, a obra sobreviveu ao tempo e está mais atual do que nunca. Em tempos de grande agitação política, de ídolos instantâneos e de fluidez de identidade (especialmente entre os adolescentes), as aventuras de Jack, Ralph, Simon e Porquinho e seus dilemas éticos, morais e afetivos parecem ter sido escritos para o Brasil do século XXI. Como numa saga shakespereana em que há drama, comédia, luta, morte, natureza, aventura e religião - tudo junto numa só história - queremos dar combustível à peça através de uma de suas principais características: a velocidade e a ferocidade dos acontecimentos.
Há muito esse binômio ritmo acelerado/violência tem frequentado o cinema, as graphic novels, o videoclipe. No teatro, o fenômeno é sazonal: visitou os palcos na era elisabetana, reapareceu pontualmente em alguns momentos do século XX. Pois é esse binômio que queremos explorar, acreditando ser a matéria prima que trará à tona os grandes eixos temáticos da obra de Golding - a essência verdadeiramente bestial do ser humano; a luta pela civilização; a formação dos partidos (em sentido mais amplo, não o meramente político); o sentido de amizade, lealdade e a criação dos vínculos afetivos; a natureza do misticismo, a necessidade dos deuses e da epifania espiritual na vida dos homens.
O Núcleo Experimental tem como base de seu trabalho o ator. Aliado à síntese de elementos cênicos e à busca de bons textos, o trabalho dos atores é o foco de nossa pesquisa cênica. Pesquisamos a expressividade da ação física, o sentido de coesão e união cênica e, paralelamente, experimentamos os possíveis usos para a música e o canto no acontecimento teatral. Todos esses elementos permeiam a encenação de "O Senhor das Moscas", já que buscamos uma encenação limpa, de poucos elementos, com iluminação e música com alta significação cenográfica e direcionada aos quatorze intérpretes das crianças criadas por William Golding. Ele que é o nosso protagonista, uma vez que acreditamos que não há bom teatro se não iluminarmos, antes de mais nada, as ideias do autor.

SERVIÇO:

BWW Previews: SENHOR DAS MOSCAS (Lord Of The Flies), Golding's Dark Fable, Receives Musical Version at Teatro do SESI
Lord of the Flies rehersal: Davi Tápias, Ghilherme Lobo, Lucas Romano, Paulinho Ocanha, Arthur Berges, Rodrigo Vellozo, Thalles Cabral, Bruno Fagundes and Felipe Ramosem
photo by Giovana Cirne

Elenco:
Arthur Berges
Bruno Fagundes
Davi Tápias
Felipe Hintze
Felipe Ramos
Gabriel Newman
Ghilherme Lobo
Lucas Romano
Paulo Ocanha Jr.
Pier Marchi
Rodrigo Caetano
Rodrigo Velozo
Thalles Cabral
Stand-in: Gabriel Malo, João Paulo Oliveira e Luiz Rodrigues

Ficha Técnica:
Texto: Nigel Williams
Tradução: Herbert Bianchi e Zé Henrique de Paula
Direção: Zé Henrique de Paula
Direção musical e preparação vocal: Fernanda Maia
Preparação de atores: Inês Aranha
Coreografia: Gabriel Malo
Cenografia: Bruno Anselmo
Figurinos: Zé Henrique de Paula
Iluminação: Fran Barros
Design de som: João Baracho
Assistente de direção: Rodrigo Caetano
Diretor residente: Lucas Farias
Assistentes de figurino: Danilo Rosa e Leandro Oliveira
Design gráfico e videos: Laerte Késsimos
Coordenação de produção: Claudia Miranda
Produção executiva: Louise Bonassi
Assistentes de produção: Laura Sciuli e Mariana Mello
Fotos: Giovana Cirne

Serviço
4 de maio a 3 de dezembro de 2017
Teatro do SESI
Avenida Paulista, 1313
Quinta a sábado às 15h.
Domingos às 14h30.
90 minutos
14 anos
Grátis

What Do You Think? Tell Us In The Comments!


Related Articles

Brazil THEATER Stories | Shows  Follow BWW Brazil


From This Author Claudio Erlichman

Before you go...